Das Pedras é chamado de ‘soldadinho’ e revida com ameaças

O vereador não gostou das críticas que seu colega Flávio Olmos fez ao prefeito e foi censura-lo da Tribuna, quando recebeu a alcunha; ‘Você não sabe com quem está mexendo’, ameaçou

Vereador Zé das Pedras

O vereador José Elias de Morais, o Zé das Pedras (PR), não gostou nem um pouco de ser chamado de “soldadinho” pelo seu colega Flávio Augusto Olmos (DEM) na sessão ordinária de segunda-feira passada, 25. Das Pedras não gostou também deste mesmo vereador, uma sessão antes daquela, dizer que o líder do prefeito, João Magalhães (PMDB), estava “no cabresto”, embora a expressão usada tivesse sido “encoleirado”, e de ter mandado Magalhães “calar a boca”.

Seu revide foi por meio de uma tentativa de desqualificar Olmos enquanto vereador, bem como ameaça-lo, primeiro arguindo a “falta de decoro e ética”, depois fazendo ameaça velada: “Você não sabe com quem está mexendo”.

Tudo isso porque Olmos cobrou da Tribuna ações administrativas corriqueiras do prefeito, como “molhar os canteiros centrais da cidade” com água de reuso, porque, neste aspecto, disse, “nossa cidade está feia”. Lembrou do projeto dos muros “para embelezar para os turistas”, que foi rejeitado naquela Casa, e cobrou que a prefeitura “faça a parte dela”.

“A gente vê que a cidade está abandonada, principalmente em alguns bairros, parece que não tem prefeito na cidade”, criticou. Das Pedras, primeiro secretário da Mesa, que já havia tentado cortar a fala de Olmos alegando quebra de tempo, na sua vez de usar a Tribuna, começou: “Quero dizer aqui, senhor presidente, para não descuidar dos três minutos, porque, o vereador vem aqui e tem três minutos, aí passa dos três minutos ele começa a procurar alguma coisa (para falar).”

“E ele procurou e falou que não temos prefeito em Olímpia. Isso não pode, porque ele vem preparado para falar três minutos, aí ele começa a falar do prefeito, porque é o que dá ‘audiência’. Então nós temos que tomar cuidado, a hora que o vereador vier aqui, já apertar o botão para o tempo correr, porque aí não tem como o vereador esticar. Porque ele começa a ‘balançar’ e aí tem que lembrar de alguém para falar”, prosseguiu.

“Não é legal o vereador falar que não tem prefeito. Já pensou o prefeito falar que não tem vereador? Seria horrível. Eu tenho certeza que o prefeito jamais vai falar um negócio desses. Então o senhor me desculpa aí, vereador Olmos, mas nós temos que ter bom senso antes de mencionar sobre não ter prefeito na cidade, isso é um absurdo”, completou.

‘NÃO TEM COMO ELOGIAR’
Na volta à Tribuna, Olmos respondeu: “Quando a gente vem falar que a cidade está feia, e a gente fala que parece que não tem prefeito, cada um tem sua opinião, eu vejo a cidade um pouco abandonada hoje, você vê os canteiros centrais morrendo, a UPA pedindo socorro, temos um aparelho de Raio X guardado na caixa, e o aparelho da UPA quebrado na semana passada novamente”, elencou.

“Se tivéssemos um prefeito atuante, esse aparelho já estaria funcionando, já faz nove meses que o prefeito está aí e o aparelho está na caixa, então não tem como eu vir aqui e elogiar um aparelho na caixa, os bairros esquecidos. Me fala uma coisa que o prefeito fez de bom até agora, a única coisa que ele fez foi terminar a obra da Aurora Forti Neves, começou em dezembro, o outro (Geninho) não deixou esquecido. Não, aí vem, critica e sempre vem um ‘soldadinho’ do prefeito defender. Defende por interesse próprio, porque no meu ponto de vista a cidade está abandonada”, insistiu Olmos.

“Vamos elogiar o quê do prefeito? Fica aqui minha indignação com o seu prefeito municipal. Não está bom. A hora que ele colocar o aparelho (de R-X) para funcionar eu dou um elogio para ele, agora não vou ficar me abalando com crítica de ‘soldadinho’ aqui não, vou continuar sendo quem eu sou, e quando tiver que criticar eu vou criticar sim”, arrematou, sendo aplaudido pela maioria do público presente.

SOLDADO DO EXÉRCITO BRASILEIRO
Talvez isso tenha enfurecido ainda mais Das Pedras, que voltou para a tréplica: “Eu gostaria de fazer uma reclamação a Vossa Excelência (presidente Gustavo Pimenta-PSDB), porque esse nobre vereador, algumas sessões atrás mandou o vereador João Magalhães calar a boca, teve um dia também que ele disse que o João Magalhães estava no cabresto, então ele precisa aprender que dentro da Câmara Municipal ele é vereador, ele não está na rua, no campo de futebol, ele está aqui, onde nós temos que mostrar que nós somos eleitos pelo povo, para representar o povo, nós não podemos chamar aqui um vereador de cinco mandatos, de ‘soldadinho’”, retrucou, já alterando a voz.

“Olha só onde você está indo, chegou esse ano na Casa Legislativa, e está achando que pode fazer o que quiser. Eu lhe chamei de nobre vereador, aqui eu acho que Vossa Excelência tem que respeitar, não vou admitir que me chame de ‘soldadinho’,  eu fui soldado sim, do Exército Brasileiro”, lembrou. Depois, Das Pedras tentou desqualificar Olmos: “Fui eleito com 1.303 votos, eu estou aqui representando a população, Vossa Excelência teve 500 votos a menos que eu, então tem que respeitar, não é porque aqui tem 10 vereadores, cada voto vale por um, mas não pode chamar de ‘soldadinho’”, insistiu.

E foi além: “Eu sei que não tem faculdade para educar as pessoas, a pessoa vem do berço, e respeite os seus companheiros aqui (...). Então não vem disputar com palavrinha, chamando de ‘soldadinho’. Você não sabe com quem está mexendo, então melhor você me respeitar”, ameaçou, por fim.

Comentários