Cunha oferece 0,06% de aumento real aos municipais

Comissão negociadora do Sindicato foi 2ª feira na prefeitura; pedido é de 6,5% de reajuste, incluindo a inflação de menos de 3%; Assembleia será terça, dia 6, na Câmara

Dois integrantes da Comissão de Negociação e três integrantes da diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Olímpia, entre eles o presidente, Jesus Buzzo, estiveram na segunda-feira passada, 26 de fevereiro, na prefeitura, onde foram recebidos pelas secretárias Mary Brito, de Finanças, e Elaine Beraldo, de Administração, a fim de receberem a contraproposta do Governo Municipal à pauta da categoria.

O Sindicato protocolou a pauta na prefeitura no dia 1º de novembro do ano passado, com uma pedida de 6,5% de reajuste, incluída a inflação-2017, inferior a 3%. Porém, conforme a secretária de Finanças Mary Brito Silveira havia antecipado, os municipais saíram de lá com uma proposta de reposição da inflação-2017, de 2.94%, e um aumento real de apenas 0,06%. A data-base dos Municipais é 1º de janeiro, mas houve também a proposta do Governo em muda-la para março a partir de 2019.

“Eles nos entregaram a proposta pronta, agora vamos levar à Assembleia da categoria”, disse o presidente Buzzo. Ele se queixou, porém, do fato de que só dois integrantes da Comissão de Negociação –Murilo Ortelani Scarpinetti e Caio Degasperi Martis, além de três diretores do Sindicato –Fábio Luís Marreto, Hilda Rocha e ele próprio, estarem presentes ao encontro. “Fica difícil trabalhar assim”, disse. A Comissão é composta de nove pessoas, enquanto a diretoria é composta por quatro pessoas.

Além da proposta dos 3% retroativos a janeiro, foi proposta também pelo Governo a mudança da data-base da categoria para 1º de março, a partir de 2019. Apenas um ítem da contraproposta agradou Buzzo: a extinção do Abono Assiduidade, incorporando seu valor ao do Auxilio Alimentação, que passará a valer R$ 200, ou totalizando R$ 2,4 mil a mais no ano. “Esta, a meu ver, foi a única proposta saudável”, avaliou o presidente.

Ficaram ainda para serem discutidas as questões da Reforma Administrativa, cronograma de realização de concursos e o Plano de Carreira do Magistério, este aliás, Buzzo propõe que seja discutido de forma mais ampla, reunindo, ao mesmo tempo, os setores Jurídico, Financeiro e Administrativo, para que, depois, “ninguém fique jogando a bola para o outro. A decisão seria colegiada”.

Sobre a evolução funcional ele disse que a promessa é que este mês será pago retroativo a janeiro. O montante a ser despendido com este pagamento, terá um impacto de 1,8% na folha, segundo o presidente. Buzzo disse não ter valores individuais, porque os salários são variáveis.

A justificativa do Governo para ofertar somente estes 3% de reposição global e o 0,06% de aumento real, foi a de que “não tinha espaço financeiro para mais que isso”, conforme o presidente. Estas propostas serão agora levadas à Assembleia de funcionários, já agendada para a próxima terça-feira, dia 6 de março, às 19 horas, na Câmara Municipal.

Comentários