Cunha inicia duas e licita a terceira ‘herança’ de Geninho

Tratam-se da instalação de galerias de águas pluviais em duas ruas principais no centro da cidade e a construção da creche do Maranata; uma terceira obra está em fase de licitação

Área da futura creche

O prefeito Fernando Cunha anunciou que iniciaria na quarta-feira passada, 3 de maio, as obras de construção de galerias de águas pluviais nas ruas Américo Brasiliense e 9 de Julho, dando um fim aos problemas de inundações naquela região central da cidade. Trata-se de mais uma obra projetada pela gestão Geninho Zuliani (DEM), para a qual havia projeto já definido e recursos, por meio do Fehidro, reservado. E desta vez nem o projeto Cunha modificou.

Geninho havia assinado convênio de R$ 556.899,41 para estas obras, em 2015. Cunha informa que o valor, no entanto, é de R$ 540 mil, e que vai colocar R$ 221 mil em recursos próprios, totalizando R$ 761 mil.

Em dezembro de 2015 Geninho esteve em São Paulo para um encontro com o então governador Geraldo Alckmim, no Palácio dos Bandeirantes, onde assinou convênio em valor superior a R$ 556 mil para obras contra enxurradas na região central da cidade. Geninho chegou a classificar a parceria como “mais uma grande notícia para nossa cidade”.

E agora Cunha vem de confirmar que o convênio foi assinado junto ao Fundo Estadual de Recursos Hídricos, o Fehidro, para a realização da obra, que atenderá trechos das ruas 9 de Julho e Américo Brasiliense, desde a Rua Dr. Antônio Olímpio até o Córrego Olhos D’Água. Na ótica do ex-prefeito, tais projetos priorizavam a qualidade de vida de cada cidadão e segurança na construção de galerias de águas pluviais e bocas de lobo.

Para a execução do serviço, o Executivo Municipal informou que a Prodem faria a interdição de dois trechos do centro, na Avenida Aurora Forti Neves, esquina com a Rua 9 de Julho, e na Rua General Osório, esquina com a Rua Américo Brasiliense. Os moradores e comerciantes dos referidos endereços terão trânsito livre. As obras serão executadas pela empresa Meribá – Engenharia e Indústria Eirelli – ME, vencedora do processo licitatório.

OUTRA ‘HERANÇA BENDITA’
Outra obra deixada para a atual gestão por Geninho foi a da creche do Maranata, na entrada da Cohab III, que teve início também esta semana, por meio da Secretaria de Obras, Engenharia e Infraestrutura. No local já foram feitas a terraplenagem e a marcação do gabarito para início oficial das obras. A empresa responsável pela construção é a NPM Comércio de Materiais de Construção Ltda-EPP, vencedora do processo licitatório.

A creche, que enfrentou questões burocráticas que perduraram anos para liberação da área, está sendo construída na região do Jardim Hélio Cazarini, mais conhecido como Cohab III. A construção da escola foi viabilizada por meio de um convênio do município com o Mistério da Educação, mais exatamente com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), na gestão Geninho Zuliani. O valor total do investimento é de R$ 2.039.921,15, sendo R$ 1.979.860,84 de repasse federal e pouco mais de R$ 60 mil de contrapartida da Prefeitura.

A TERCEIRA ‘HERANÇA’
Ainda no âmbito das “heranças benditas” deixadas pelo ex-prefeito ao atual, está esta obra para a qual Cunha já fez publicar o Aviso de Licitação para a Concorrência n° 003/2018: tratam-se das obras de recuperação do complexo arquitetônico da Estação Ferroviária de Olímpia. Geninho deixou  pronto o projeto, e o dinheiro necessário, viabilizado por meio do DADETur, com a oficialização de Olímpia como Estância Turística. Este órgão repassa ao município, a cada mês, cerca de R$ 400 mil.

Cunha abriu licitação para contratação de empresa especializada na área da construção civil com fornecimento de materiais, mão de obra e equipamentos, para a execução da obra de Requalificação do Complexo Arquitetônico da antiga Estação Ferroviária da Estância Turística de Olímpia - Centro Cultural e Turístico, conforme convênio estadual nº 148/2017-DADETur, com previsão de abertura dos envelopes no dia 21/05/2018, mesma data para a entrega, uma hora antes, no Setor de Licitações, mediante pagamento de custas. O valor estimado da obra é de R$ 2.373.743,57.

Comentários