‘Quer fazer política, fica na Câmara’, diz Niquinha sobre Cristina Reale

O vereador atacou fortemente a secretária de Assistência Social, e também Tarcísio Aguiar, da Agricultura, que segundo ele tentaram lhe dar o ‘drible da vaca’ nos últimos dias

Vereador Niquinha

O vereador Antonio Delomodarme, o Niquinha (PTdoB) atacou fortemente na sessão de segunda-feira passada, 13, a secretária de Assistência Social, Cristina Reale, por causa de um protelamento da entrega das chaves do carro que a Câmara havia doado à prefeitura, a fim de que fosse repassado ao Conselho Tutelar. Segundo ele, recebeu denúncias de que Reale teria segurado a chave por mais de 25 dias, exigindo para a entrega, que os conselheiros “tirassem uma foto com ela”. Também o secretário Tarcísio Aguiar, da Agricultura, foi alvo das críticas do vereador.

“Quero lamentar o que aconteceu. A secretária de Assistência Social - não vou falar palavrão em respeito às pessoas na galeria – se quer fazer politica, venha aqui para a Câmara. Se não, fica na Secretaria”, começou Niquinha. “Esse carro foi entregue pela Câmara há mais de 25 dias, quase um mês, fomos lá entregar a chave ao prefeito, para destonar ao Conselho Tutelar. Para minha surpresa, fiquei sabendo que até sexta passada (10), não havia sido entregue, e que só entregaria mediante uma foto com o Conselho Tutelar e o carro”, prosseguiu.

“Isso é uma piada, é um absurdo, nós temos que alertar o (prefeito) Cunha, que tem secretários e secretária, que não estão lá para resolver os problemas da cidade, estão lá para fazer politica. Então, se quer fazer politica, fica aqui na Câmara. Querem ir para a Secretaria para ganharem dobrado, e ficam fazendo politica”, destacou.

Depois, foi a vez de Tarcísio Aguiar, secretário de Agricultura, ex-suplente na cadeira de Salata (PP). “Falei com o prefeito, que faz mais de 12 anos que não dão uma reformada no São Benedito, e ele falou para que eu falasse com o Luís Carlos (Biagi, secretário de Obras). Disse que queria ver a igreja pintada e reformada”, começou.

“Depois de pintada, quem chegou lá? O secretário da Agricultura. E eu fui bem claro, o prefeito Cunha quem autorizou. Mas ele disse que vereador não manda nada, ele pede para o prefeito e ele libera, se o prefeito falar que não vai existir feira, não vai. Agora o outro (Aguiar) quer deitar no colchão que a gente faz? Se Deus quiser tenho mais três anos (de mandato), tomem cuidado que a minha língua é afiada”, ameaçou.

O líder do prefeito na Câmara, João Magalhães (PMDB), foi solidário ao vereador queixoso. “Niquinha, a questão do carro eu sei que partiu de você, um vereador determinado, e a questão politica realmente precisa ter um pouco mais de cautela, de cuidado, para respeitarmos as autorias dos projetos”, pediu.

Niquinha voltou à carga, da Tribuna: “Quero deixar bem claro aqui a respeito dos secretários, que estou reagindo hoje porque não foi a primeira vez. Na feira (livre) que pedi para o Tropical 1 e 2, quiseram me dar o ‘drible da vaca’, então vamos ver quem vai ser o ‘pai da criança’. Esse é o secretario da Agricultura, queria me ‘driblar’”, comentou.

E voltando à secretária da Assistência Social, disse que ela “já queria levar um engenheiro que o prefeito disponibilizou para o pessoal das Cohabs 1, 2 e 3, CDHU, e os bairros novos, para quem queira aumentar um cômodo, um engenheiro gratuito, queria ‘passar a mão’ e levar ao gabinete dela”. Trata-se de um projeto de Lei de sua autoria, que coloca um engenheiro da prefeitura para assinar obras de ampliação, reforma e adaptação em imóveis de conjuntos populares. “Então, estou falando aqui porque não é de hoje. Sou da paz, gosto de diálogo, tenho coração, mas não mexe comigo”, finalizou.

Comentários